Mulher com dor nos dentes sisos

Dentes Sisos: Sintomas, causas, como resolver

Se você já ouviu alguém falar que não há pior dor do que dor no dente, pode acreditar! Quando começamos a senti-la, independente da causa, ficamos mais adoecidos, podemos ter febre e diversos sintomas que nos deixam mal e até mesmo acamados.

As dores de dente podem até mesmo desencadear dores no ouvido, de cabeça e afins, pois costumam ser muito fortes, principalmente quando provém dos dentes sisos. Os sisos são os pesadelos dos jovens, e aparecem entre 15 e 21 anos.

Eles podem ou não “nascer”, mas quando resolvem aparecer, proporcionam diversas dores e complicações, que prejudicam o dia-a-dia do paciente. Para que possa entender mais sobre o dente do siso e como resolver este problema, acompanhe o texto e confira as dicas.

O que são os dentes sisos?

Dentes do siso são os últimos 4 dentes que nascem (terceiros molares), ou até mesmo erupcionam em jovens. Há casos em que pessoas mais velhas tiveram este nascimento, mas é mais comum no começo da juventude.

O dente do siso é temido, pois ele nasce de modo progressivo, demasiadamente demorado e de forma aleatória. Ele é o último dente de cada lado da boca, e dependendo de como erupciona, pode entortar o restante dos dentes, e esses processos costumam doer bastante.

Ao todo, são 4 dentes sisos, no qual dois se encontram na parte superior e os outros dois na parte inferior de nossa boca. Eles são conhecidos como “dentes do juízo”, por conta da idade em que ele nasce e alcança.

Porém, há pessoas que se verificam com agenesia dos mesmos, que é basicamente a ausência da formação de sua originação, o que de modo consequente, não possibilita o nascimento de nenhum dente do siso.

Quais os sintomas?

Com o dente do siso nascendo, a maioria dos pacientes sentem diversos sintomas, e eles são recorrentes e duram o tempo que for, enquanto a movimentação deles ainda existir. São eles:

  • Dente siso inflamado
  • Dores de dente
  • Dores de cabeça
  • Infecções bucais
  • Inchaço facial
  • Febre
  • Inchaço local e gengival

Esses sintomas ocorrem pelo fato de não haver o espaço necessário em nossa arcada dentária para acomodá-los e receber seu crescimento, e por isso a extração é necessária, e quanto mais rápido, melhor, para que nenhum outro dente seja impactado.

Causas e diagnóstico do dente siso nascendo

Com o dente do siso nascendo, você começará a perceber todos os problemas e correrá para o dentista, que poderá entender o que está ocorrendo. Caso você tenha esses sintomas, mas o dente não esteja aparente, ele pedirá um raio-x para confirmar.

As causas de seu aparecimento são naturais, e o próprio corpo-humano produz essa erupção, que é comum, mesmo que traga chateações. Porém, em muitos casos, é possível retirá-los com facilidade, principalmente se já estiverem evidentes e fáceis de serem extraídos.

Como resolver e tratar este problema?

Uma das opção é a extração de todos eles. Quando eles estão à mostra e já terminaram seu nascimento, um cirurgião dentista poderá extraí-los.

Quando eles estão impactados e presos nos ossos, será necessário incisionar a gengiva e fazer uma cirurgia mais complexa, para que eles possam também ser extraídos, sem que haja danos a estruturas anatômicas importantes.

Após a cirurgia, é possível que sinta inchaço e um pouco de dor, mas é comum e passará em alguns dias. Porém, se obtiver sangramento, febre e complicações, procure o seu dentista.

Mas, se ainda não for possível retirá-los, pode continuar tomando analgésicos e remédios relacionados a essas dores, fazer compressas de água quente e ficar em repouso. Seu dentista te passará as melhores possibilidades de medicamentos e instruções.

Complicações que podem ocorrer

Pericoronarite – Com o dente siso nascendo, é possível que uma inflamação na gengiva apareça, por conta da falta de espaço para que ele saia. O tecido da gengiva irá cobrir um pedaço desse dente, fazendo com que haja acúmulo de alimento e placas bacterianas, causando mau hálito, pus e infecções no dente.

Alveolite – Quando um dente é extraído, é possível que a ausência dele forme um coágulo na cavidade, na qual se fechará naturalmente com o tempo. Esse coágulo ajuda na cicatrização, porém causa muita dor. Então, é necessário que o dentista tire todos os resíduos deste buraco, passar um antibiótico para a pós-cirurgia e um atestado para repouso. Somente de 2 a 5% dos pacientes desenvolvem alveolite, e ela dura até 10 dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima